O PROFISSIONAL ENFERMEIRO FRENTE A ASSISTÊNCIA HUMANIZADA EM UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO

Autores

  • CAMILA DE MORAES CORRÊA FACULDADE MORGANA POTRICH - FAMP
  • Paloma Cristian Tavares Matos

Palavras-chave:

Atendimento. Enfermeiro. Humanização

Resumo

As Unidades de Pronto Atendimento (UPA) ocupam o nível intermediário de complexidade entre a atenção primária e terciária, integrando a Rede Pré-Hospitalar, onde atua como porta de entrada aos serviços de urgência e emergência. As UPAs devem funcionar 24 horas por dia, realizando o acolhimento com classificação de risco que proporciona humanização no atendimento e no trabalho da equipe multidisciplinar. A ausência de flexibilidade nos setores da área da saúde provoca a superlotação das emergências hospitalares e prontos-socorros, tornando essa área em uma das mais problemáticas do sistema de saúde. Desta forma, através desse estudo, foi explanado sobre a eficácia da humanização no atendimento; esclarecendo conceitos referentes à humanização, com o objetivo de descrever sobre a importância da assistência do enfermeiro em uma Unidade de Pronto Atendimento, servindo como fonte de aprimoramento de conhecimentos sobre cuidado humanizado em saúde. Trata-se de um estudo descritivo de abordagem qualitativa, realizado mediante revisão de literatura a partir de uma análise de artigos científicos, informando sobre a importância da humanização no atendimento de urgência e emergência. A humanização pode ser entendida como um vínculo entre profissionais e usuários, baseado em ações direcionadas pela compreensão e pela valorização dos sujeitos, refletindo em atitudes éticas e humanas, englobando aspectos socioculturais sendo permeado por imprecisões no atendimento. É indispensável que se realize o acolhimento do paciente, para que a assistência não seja voltada apenas para a queixa clínica, buscando visar o ser humano de uma forma integral, considerando sua singularidade. A revisão de literatura revelou que a ausência de recursos estruturais, aspectos referentes ao trabalho multiprofissional e mau funcionamento das redes de atenção à saúde, com pouca resolutividade da atenção básica, acarretam a superlotação nas unidades de pronto atendimento. Devido a esses fatores torna-se necessária a aplicação do acolhimento com classificação de risco que é o dispositivo mais utilizado dentre os oferecidos pela política nacional de humanização, trazendo resultados satisfatórios com eficácia clínica, proporcionando um acolhimento humanizado.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-03-10

Como Citar

DE MORAES CORRÊA, C., & Cristian Tavares Matos, P. . (2021). O PROFISSIONAL ENFERMEIRO FRENTE A ASSISTÊNCIA HUMANIZADA EM UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO. EVISTA SAÚDE ULTIDISCIPLINAR, 9(1). ecuperado de http://revistas.famp.edu.br/revistasaudemultidisciplinar/article/view/147